terça-feira, 11 de outubro de 2011

O poder da semente



"...a tragédia ocorre quando uma árvore morre na semente."  (Myles Munroe)


Quer ver um milagre? Tente este. Tome uma semente menor do que um grão de arroz. Ponha a semente debaixo de alguns centímetros de terra. Dê-lhe água, luz e fertilizante, e prepare-se. Uma montanha será removida. Não importa se o chão é bilhões de vezes mais pesado do que a semente. A semente o rompera.
A cada primavera, sonhadores em todo o mundo plantam pequeninas esperanças em solo improdutivo. A cada primavera, suas esperanças surgem em condições desfavoráveis e brotam.
Não devemos subestimar o poder de uma semente.

Pastoral da Juventude Estigmatina realiza grande encontro


    A Pastoral da Juventude Estigmatina reuniu quase 150 jovens em um grande encontro na Fazenda Santana em Corumbataí, SP. Com o tema “Comunidade: Sinal de participação e transformação no mundo” a juventude participou ativamente das palestras, orações e gincana neste encontro que aconteceu no dia 8 e 9 de outubro com jovens vindos de Corumbataí e das comunidades de Santa Olímpia e Santana – Piracicaba e uma representante de Campinas.
   O encontro, que foi organizado e conduzido pelo seminarista Diomar, Pe. Elizeu e Pe. Emerson,  foi marcado pela espontaneidade da juventude. Suas falas, brincadeiras e alegrias revelavam o prazer do encontro, encontro com o outro, com o/a amigo/a, com pessoas novas, com um local novo.
    Durante a tarde de sábado, foi preparado uma formação regada a dinâmicas para descobrirem juntos “como ser sinal de participação” e “que modelo de Igreja a juventude anseia”. Já no período da noite, foi preparada uma gincana, 5 grupos, representando os estigmas de Cristo, apresentavam seus talentos e disputavam as provas propostas, a noite terminou com um luau, jovens cantando, conversando e se divertindo. É claro que ninguém queria dormir, aliás, alguns queriam, mas uma parte da juventude não se cansava de brincar, conversar, ouvir sua música.  

   O domingo foi marcado pela revisão das atividades anteriores e pela reflexão de como formaram comunidade e, em busca de um mesmo objetivo, estabeleceram novos laços de amizade, aprofundaram outros.
   Após a missa, celebrada em um jeito bem juvenil, o encontro terminou com o almoço. Os jovens retornaram para suas comunidades e ficou a sensação de ter lançado uma pequena semente de caminhada e de compromisso comunitário.

Uma Caminhada para Missão

 Neste mês de outubro, estamos vivendo o mês dedicado à missão. Assim como ninguém parte para missão a partir do nada, seja ela qual for, também nós cristãos católicos, percorremos um caminho nos últimos três meses para prepararmo-nos a uma ação missionária. Primeiro fomos levados a refletir sobre nossa vocação, o “CHAMADO” (agosto). Em seguida (setembro) refletimos sobre a Palavra de Deus, ou seja, a “ESCUTA” e neste mês (outubro), estamos dispostos a sair em missão, ou seja, ao “ANÚNCIO”.
Para ser missionário, antes de tudo, deve-se conhecer o que vai ser anunciado. Por isso, há a necessidade de fazer primeiro a experiência de Deus. Este, que nos escolheu primeiro: “Não fostes vós que Me escolhestes a Mim; pelo contrário, Eu vos escolhi a vós” (Jo, 15, 16). É um Deus sensível a realidade humana e nos escolhe, nos chama. Por isso, fomos convidados a estarmos com os ouvidos atentos durante o mês inteiro de agosto para escutarmos seu chamado.
Um dos meios mais fortes estarmos atentos ao apelo de Deus é a Sua Palavra. Por isso dedicamos um mês para refletirmos, rezarmos e estudarmos ainda mais a Sagrada Escritura. “A palavra de Deus é viva, é realizadora, mais afiada do que toda a espada de dois gumes: ela penetra até onde se dividem a vida do corpo e a do espírito, as articulações e as medulas e é capaz de distinguir as intenções e os pensamentos do coração”  (Heb 4,12).
Após esses passos nos tornamos comprometidos com o anúncio. Não dá para conhecer Deus e guarda-lo apenas para nós. Sabemos que missão vem de um termo latino missus que quer dizer enviado. Significa enviar alguém para realizar uma tarefa. No sentido religioso, missão é enviar alguém para ser um sinal da presença divina, para transmitir a mensagem divina às pessoas.
Somos convidados a sermos sinal de Deus na vida daqueles que convivem conosco. Talvez o local mais difícil de sermos missionários seja em nossa própria realidade, nossa própria casa. Mas é justamente aí que Deus se revela através de nossa presença. Por isso, respondendo ao chamado divino, através da Sagrada Escritura, devemos nos tornar missionários constantemente, levando outras pessoas a uma experiência mais profunda de Deus.
É interessante destacar que estamos em um contexto de pós-modernidade e é neste contexto desafiador que somos enviados por Deus, através da Igreja, para sermos um sinal de sua presença e para transmitirmos sua mensagem à sociedade atual. Também hoje a mensagem divina deve responder a situações concretas vividas pelas pessoas, variando conforme o lugar e o tempo. É uma mensagem que anuncia o amor de Deus e denuncia a falta deste amor entre as pessoas.
A evangelização na pós-modernidade reconhece que a mensagem divina já foi transmitida às pessoas, através da cultura religiosa familiar ou, até mesmo, dos meios de comunicação. Por isso, as missionárias e missionários não levam Deus às pessoas. Antes as ajudam a redescobrir a beleza e a alegria de viver a fé cristã em comunidade.